• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Auxílio emergencial: mais de 73% dos recursos foram recebidos pela população mais pobre no ES

CORONAVÍRUS

Economia

Auxílio emergencial: mais de 73% dos recursos foram recebidos pela população mais pobre no ES

Segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo IBGE, foram repassados cerca de R$ 438,2 milhões a 515,8 mil domicílios em todo o estado

Foto: Pixabay

Cerca de 73,2% dos recursos do auxílio emergencial, no Espírito Santo, foram destinados a pessoas cuja renda domiciliar per capita, em maio, não ultrapassava R$ 665,73. O montante representa cerca de R$ 320,8 milhões. Os dados fazem parte dos resultados complementares da Pnad Covid19 mensal, divulgada na última quarta-feira (24), pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE).

Segundo os dados divulgados pelo IBGE nesta segunda (29), foram repassados um total de R$ 438,2 milhões à população capixaba, referente ao benefício concedido pelo governo federal, por meio da Caixa Econômica Federal, para minimizar os danos provocados pela pandemia do novo coronavírus. O auxílio emergencial chegou a 515,8 mil domicílios em todo o estado, o que corresponde a 38% do total.

A pesquisa mostrou ainda que, na primeira faixa de renda, o Espírito Santo tem 404 mil pessoas que residem em domicílios com renda domiciliar per capita até R$ 96,73. Dessas, 296 mil pessoas (o equivalente a 73,3% dessa faixa) residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, que passou de uma renda domiciliar per capita média de R$ 22,37 para R$ 240,03, o impacto do benefício foi equivalente a um "ganho" de 973%. 

Na segunda faixa de renda (até R$ 273,91), composta por 406 mil indivíduos, o alcance foi de 74,8%, contemplando 304 mil pessoas que residiam em lares onde pelo menos uma delas recebeu o auxílio emergencial. No caso dessa faixa, houve impacto positivo de 86,5% na renda per capita média, passando de R$ 199,82 para R$ 372,73. 

O alcance do programa na terceira faixa de renda (até R$ 399,29) foi de 63% e na quarta faixa (até R$522,37), 60,6%. Quase metade (46,7%) das 445 mil pessoas da quinta faixa de renda domiciliar per capita (até R$ 665,73) residiam em domicílios que receberam o benefício.

De acordo com o IBGE, os dados da Pnad Covid19 mensal visam apresentar os efeitos da pandemia no mercado de trabalho e na renda da população, de modo a produzir informações necessárias à elaboração de programas de apoio específicos ou de políticas públicas em geral. Esses primeiros resultados incluem estimativas detalhadas sobre cobertura e focalização do programa. 

O auxílio emergencial é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem como objetivo fornecer proteção social no período de enfrentamento da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.