Governo e Sebrae lançam projeto para atrair novas empresas e gerar empregos no ES

Economia

Governo e Sebrae lançam projeto para atrair novas empresas e gerar empregos no ES

Além de descentralizar o crescimento, levando investimentos para o interior, o objetivo do projeto, em parceria com Sebrae e Amunes, é atrair negócios mais voltados para a inovação e a tecnologia

Foto: Reprodução TV Vitória

De olho em novos investimentos, o Governo do Estado, em parceria com o Sebrae e a Associação dos Municípios (Amunes), lançou um novo projeto para atrair o olhar de empresas para o potencial do Espírito Santo.

Em momento de crise econômica, ter uma política de atração de negócios é vital para qualquer cidade, Estado ou país voltar a crescer. De acordo com Tyago Hoffmann, todos os municípios vão participar da ação. 

"Nosso objetivo é demonstrar esta tecnologia que a gente tem hoje disponível, esse conhecimento, esse método que a gente desenvolveu. A partir disso, temos os 78 municípios do ES atuando com Governado nesse trabalho prospecção".

Mas como fazer, em um mercado tão competitivo, para trazer investimento, e com ele gerar emprego e renda? O "X" da questão, segundo Luiz Toniato, diretor do Sebrae, está na informação. 

Com pesquisa e cruzamento de dados, ele garante que é possível definir nichos de mercado e qualificar os gestores para o novo ambiente de negócios.

Leia também: Região Serrana do ES ganha rota de cafés especiais

"Nós vamos poder ajudar os municípios a identificar por meio de pesquisa, levantamento e diagnósticos, junto ao governo e aos municípios, quais oportunidades nós podemos desenvolver em cada um dos territórios".

O projeto de atração ativa de negócios tem caráter permanente, ou seja, o Sebrae e o Governo do ES vão dar apoio técnico e qualificação contínua para os municípios aprenderem a vender melhor seu 'peixe no mercado'. 

Foto: Reprodução TV Vitória

Além de descentralizar o crescimento, levando investimentos para o interior, o objetivo do projeto é atrair negócios mais voltados para a inovação e a tecnologia.

"Nosso objetivo é atrair empresas de todos os setores. Estamos muito focados também para que essas empresas atraiam para o Estado seus centros de inovação, centros de tecnologias. Com isso a gente vai qualificando a produção, emprego e nossa universidade tem foco em formar mão de obra exatamente nessas áreas ligadas em tecnologia e inovação", contou Tyago.

Leia também: Mudanças climáticas já afetam portos brasileiros, aponta estudo

Esse é o desafio para um estado que já se consolidou no comércio exterior e em commodities, como aço, rochas e celulose, e agora quer navegar na economia do futuro, movida pela inovação.

O prefeito de Ibatiba e vice-presidente da Amunes Luciano Pingo, acredita que essa união de esforços é o diferencial para dar início a um período pós-pandemia, que traga de volta a esperança de tempos melhores, em especial para o interior.

"As suas economias são o café na região sul arábica, na região norte conilon, turismo e pequenas empresas. Agora temos a oportunidade de celebrar parcerias e dialogar de igual a igual com municípios do grande centro e levando grandes empresas para o interior do Espírito Santo". 

*Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV