Alerta! Pesquisa aponta dificuldade de brasileiros em identificar e-mails falsos

Geral

Alerta! Pesquisa aponta dificuldade de brasileiros em identificar e-mails falsos

Dados mostram que, de todo os 50 milhões de conteúdos fraudulentos que circularam no mundo no terceiro trimestre do ano passado, 3,8% deste total foi direcionado ao Brasil

Foto: Reprodução

Apesar do uso constante de aplicativos de mensagem como Whatsapp e Messenger, os e-mails ainda fazem parte do cotidiano de boa parte dos brasileiros, que utilizam a plataforma, em boa parte dos casos, com finalidade comercial. Tendo isso em vista, os cibercrimes têm utilizado este campo da internet para disparar conteúdos fraudulentos e até mesmo nocivos para os dispositivos de diversos usuários, não só no Brasil, mas em todo o mundo.

De acordo com dados da empresa de cibersegurança Kaspersky, no terceiro trimestre de 2020, mais de 50 milhões de e-mails com conteúdo falso foram enviados em todo o mundo. Deste valor total, 3,5% deles foram destinados à endereços brasileiros, fazendo com o que o Brasil ocupe a 8ª posição no ranking de países que mais recebem conteúdos falsos.

A respeito deste alto índice de possíveis ameaças virtuais, a Kaspersky promoveu uma pesquisa sobre a reação dos brasileiros ao receberem um e-mail falso. Na pesquisa a empresa perguntou para algumas pessoas, caso elas recebessem um e-mail com o logotipo de uma companhia aérea oferecendo um concurso para ganhar duas passagens totalmente pagas para o Caribe, qual seria a reação delas.

O resultado da pesquisa mostrou que 38% das pessoas entrevistadas desconfiariam do conteúdo e não clicariam no link exibido. Outros 51% dos entrevistados disseram que iriam verificar a veracidade da promoção e outros 10% afirmaram que acessariam o site indicado no e-mail.

“O melhor é desconfiar e verificar diretamente com a entidade oficial, especialmente quando esses e-mails incluem anexos ou links, ou pedir para verificar o endereço de e-mail ou outras informações pessoais”, apontou Fabio Assolini, analista de segurança sênior da Kaspersky.

Sobre o mensagens que são enviadas em aplicativos de mensagem, o levantamento mostra que mais da metade dos brasileiros iria ignorar ou apagar mensagens que dizem respeito à conta corrente hackeada. Nesta situação em específico, 47% disseram que entrariam em contato com o banco para checar a informação.

Quando o assunto são mensagens de cunho publicitário, 39% das pessoas afirmaram que sempre sentem alguma desconfiança nos dados apresentados. O analista da empresa de cibersegurança reafirma a importância de prestar atenção nos detalhes que podem denunciar que a mensagem recebida trata-se de uma mensagem fraudulenta.

“É importante ficar atento e não baixar a guarda, principalmente ao receber e-mails ou mensagens que pareçam vir de entidades oficiais e comunicam uma urgência, como uma oferta disponível para um número limitado de usuários ou que ameacem o destinatário com multas, caso ele não execute a ação necessária o mais rápido possível", diz Fabio que também alerta sobre o cuidado em não clicar logo de primeira em links recebidos nestas mensagens.

O levantamento integra uma ação da Iceberg Digital, que tem como objetivo fazer uma análise do setor de cibersegurança em países da América Latina como Argentina, Chile, Colômbia, México e Peru. O projeto também pretende proteger pessoas e empresas de conteúdos que podem parecer inocentes, mas que são maliciosos. Ao todo foram entrevistadas 2.291 pessoas entre 18 e 50 anos.

* Com informações do Portal R7