Brasil registra 3.733 novas mortes por covid em 24h, 3ª maior marca da pandemia

Geral

Brasil registra 3.733 novas mortes por covid em 24h, 3ª maior marca da pandemia

Os números desta quarta mostram 90.973 novos casos confirmados, fazendo o total chegar a 13.197.031. Segundo dados do Ministério da Saúde, o País tem 11.664.158 pessoas recuperadas e 1.188.271 em acompanhamento médico

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O Brasil registrou 3.733 novas mortes por covid-19 nesta quarta-feira, 7, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. A média móvel diária de mortes, que usa registros dos últimos sete dias, ficou em 2.744 , número que se mantém acima de 2 mil desde o dia 17 de março. O total de óbitos chegou a 341.097.

Os dados diários nacionais são do consórcio de veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Os registros desta quarta-feira seguem o patamar elevado da pandemia no País, que chegou a registrar mais de 4 mil mortes em um único dia, nesta terça-feira, 6. O número de mortes desta quarta é o terceiro maior de toda a pandemia, atrás dos registros de terça (4.211) e da quarta-feira, 31 de março (3.950).

Os números desta quarta-feira mostram 90.973 novos casos confirmados, fazendo o total chegar a 13.197.031. Segundo dados do Ministério da Saúde, o País tem 11.664.158 pessoas recuperadas da doença e 1.188.271 em acompanhamento médico.

Datas com maiores registros de óbitos da pandemia no Brasil

06/04/2021 - 4.211 (recorde)

31/03/2021 - 3.950

07/04/2021 - 3.733

01/04/2021 - 3.673

30/03/2021 - 3.668

26/03/2021 - 3.600

27/03/2021 - 3.368

23/03/2021 - 3.158

02/04/2021 - 2.807

16/03/2021 - 2.798

Consórcio reúne dados desde 8 de junho

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.