Famílias continuam desalojadas após queda de muro em Guarapari

Geral

Famílias continuam desalojadas após queda de muro em Guarapari

O muro, que serviria como proteção contra deslizamentos, desabou antes da obra ser concluída

Foto: Defesa Civil - Guarapari

As famílias que tiveram as casas atingidas pela queda de um muro no bairro Bela Vista, em Guarapari, continuam desalojadas. As cinco casas afetadas foram interditadas pela Defesa Civil. 

O incidente aconteceu na manhã de terça-feira (12), quando o muro cedeu e atingiu as residências, deixando 15 pessoas desalojadas. 

De acordo com o carpinteiro José Carlos Jesus dos Santos, o muro, que ainda estava em construção, serviria justamente como proteção para evitar deslizamentos durante os períodos chuvosos. 

"Realmente foi por causa da chuva que a gente está fazendo esse trabalho aqui. Precisando fazer esse trabalho para poder recuperar mais a área, para poder trabalhar, e o barranco veio a ceder. Com a obra e a chuva, a gente passou a ter esse problema. Mas Deus sabe de todas as coisas e estamos aí, esperando alguma ajuda que Deus manda", disse o carpinteiro. 

Uma das cinco casas atingidas foi a do pedreiro Jaelson Alves. Ele contou que, na hora do incidente, estava em casa cozinhando, quando ouviu o muro desabar. Por pouco, o homem não foi atingido.

"Eu vim aqui no fogão, que eu tinha botado o feijão no fogo, peguei um tira-gosto e voltei para o quarto. Assim que entrei no quarto, ouvi um barulhão. Nem veio na mente que tinha sido o muro. Em questão de segundos, talvez até eu podia ter morrido", disse o pedreiro. 

Com o desabamento, a casa de Jaelson ficou comprometida e o imóvel, assim como as outras quatro residências, foram interditadas pela Defesa Civil. De acordo com o pedreiro, ele perdeu alimentos, o fogão e a máquina de lavar roupas. 

Ainda segundo ele, a cozinha, o banheiro e um dos quartos foram atingidos. "A alimentação, que estava aqui na cozinha, não deu para aproveitar. Meu fogão, meu micro-ondas, meus lençóis... E os alimentos, panela de pressão e vasilhas, que não dão mais para usar", lamentou. 

O pedreiro contou que o filho e a nora estão abrigados em casa de parentes, mas ele continua na residência e diz que tem medo do que pode acontecer se continuar chovendo. 

"Eu, até o momento, estou aqui. Meu filho e a minha nora foram para a casa da avó dele. Mas lá também é quase impossível ficar, porque tem muitas pessoas. Mas, para eles aqui, seria pior do que eu sozinho aqui". 

Por nota, a Defesa Civil informou que esteve no local, na terça-feira, e que uma lona foi colocada no barranco, para evitar mais deslizamentos. 

"A Defesa Civil preferiu que nós saíssemos, para preservar a família. Minha mulher está um pouco assustada. Com o barulho que teve, da queda do muro, ela ficou meio assustada. Estamos na casa de parentes, aqui no bairro mesmo, pertinho, e estamos aí", disse José Carlos. 

A Secretaria de Trabalho, Assistência e Cidadania de Guarapari informou que já está prestando atendimento às famílias atingidas, para que elas possam dar entrada no pedido de aluguel social.