Passageiros do Transcol são assaltados na BR-101, na Serra

Polícia

Passageiros do Transcol são assaltados na BR-101, na Serra

Com medo da ação dos criminosos, algumas pessoas estão repensando as rotas para tentar evitar que sejam vítimas de novos assaltos

Foto: Reprodução TV Vitória

Mais uma vez, passageiros de um ônibus do Transcol foram assaltados. O coletivo da linha 800 levava os passageiros para o Terminal de Laranjeiras, quando ocorreu o assalto. O crime aconteceu na noite desta sexta-feira (23) em um ponto de ônibus da BR 101, em Carapina, na Serra. 

De acordo com uma das vítimas, o suspeito afirmava estar com uma arma na cintura e rendeu todos os passageiros. Com os pertences das vítimas, o suspeito desceu do ônibus e fugiu na direção do bairro Jardim Tropical.

Casos de ônibus assaltados são recorrentes no bairro

Relatos de assaltos como o da noite desta sexta-feira têm sido cada vez mais comuns na Grande Vitória. Apenas em julho, ao menos dez casos de assaltos a ônibus foram registrados na região. Alguns casos, acontecem em situações bem parecidas.

Na última terça-feira (20), passageiros de um ônibus da linha 800A também foram alvos de criminosos. O local onde aconteceu o assalto é praticamente o mesmo em que ocorreu a ação desta sexta-feira.

Os casos de assaltos a coletivos na BR 101, na altura do bairro Jardim Tropical, têm sido tão frequentes que alguns passageiros já foram rendidos, mais de uma vez, no mesmo local. 

Uma das vítimas, um homem de 37 anos, já foi assaltado três vezes no mesmo lugar. No último assalto, no dia 09 de julho, ele tentou escapar dos criminosos e evitar perder o celular. Além de não conseguir evitar o crime, o rapaz foi agredido. 

O medo já fez a vítima pensar em mudar a rota para voltar para casa depois do trabalho. "Terceira vez que eu fui assaltado. A gente acaba ficando cansado da violência, de comprar uma coisa e ter que dar para essas pessoas", desabafou.

Mesmo as vítimas que conseguem escapar, não conseguem esquecer o desespero do momento em que foram assaltadas. Uma mulher de 44 anos contou que só não perdeu o celular porque tinha deixado o aparelho em casa.

"Um senhor foi resistente. Eles deram um soco no peito dele, pegaram a mochila. Uma outra menina não queria dar, aí eles perguntaram se ela queria morrer. Eu fiquei com medo", desabafou. 

A Polícia Civil informou que o caso registrado nesta sexta-feira será investigado pela Delegacia Especializada em Crimes Contra Transporte de Passageiros. Até o momento, nenhum suspeito foi detido. 

A GV BUS disse que orienta os motoristas dos coletivos a procurarem uma delegacia para que os boletins de ocorrência sejam registrados. 

*Com informações da repórter Lucas Pisa, da TV Vitória/Record TV.