• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Amigos lamentam morte de lavrador assassinado com golpes de machado: 'foi muita covardia'

Polícia

Amigos lamentam morte de lavrador assassinado com golpes de machado: 'foi muita covardia'

Antes de ser morto dentro da própria residência, o homem lutou os criminosos para que a esposa e o neto conseguissem fugir

Foto: Reprodução TV Vitória

"Fizim" ou "Bigode": assim que Elécio Falecia era conhecido pelos familiares, amigos e vizinhos do bairro Cidade Nova, na Serra. Com uma vida simples e uma casa humilde, o lavrador de 61 anos sempre foi uma pessoa muito querida por quem o conhecia.

Triste com a notícia, uma vizinha desabafou sobre a perda do amigo. "Ele era uma excelente pessoa. Tinha muitos anos que ele morava na região. Foi muita covardia o que fizeram com ele! No bairro, todo mundo gostava dele", contou. 

Na madrugada deste sábado (21), o homem foi assassinado com golpes de machado dentro da própria residência. Segundo o genro da vítima, os suspeitos teriam arrombado a porta e invadido a casa em que estavam, além do trabalhador, a esposa e o neto. 

Antes de ser morto, Elécio lutou com os criminosos para que a mulher conseguisse fugir com o neto. Desesperada e sem saber o que fazer, a companheira pediu ajuda à uma vizinha. 

"Eu e meu esposo estávamos dormindo, ele toma remédio controlado. Ela chegou e contou o que tinha acontecido. Quando os criminosos entraram na casa deles, o Bigode mandou ela correr. Ela abriu a janela, jogou o neto e depois pulou. Eles ficaram um tempo escondido na mata", contou uma moradora da região.

O genro afirma que não acreditou quando soube do crime. "Um rapaz foi lá em casa avisar que tinham matado meu sogro. Eu não acreditei. Ele era uma pessoa do bem. A família está em choque, sem acreditar na brutalidade que aconteceu".

A esposa de Elécio se sentiu mal e precisou ir ao hospital para receber atendimento médico. Segundo a vizinha, o neto também está em estado de choque após o crime.

O homem trabalhava como pedreiro e complementava a renda com os serviços da roça, coisa que amava fazer. Na manhã deste sábado, familiares estiveram na residência para retirar alguns pertencentes. Dentre eles, os preás, animais favoritos de "Seu Bigode". O corpo foi encaminhado para o Departamento Médico Legal, em Vitória. 

Como a residência fica em uma região afastada, em uma zona rural do município, não há câmeras que possam ajudar nas investigações. A família não sabe o que pode ter motivado o crime. O caso será apurado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Serra. 

*Com informações da repórter Jéssica Cardoso, da TV Vitória/Record TV.