• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Já ouviu falar em terapia por ondas de choque? Método é novo tratamento para doenças musculoesqueléticas

Saúde

Já ouviu falar em terapia por ondas de choque? Método é novo tratamento para doenças musculoesqueléticas

Procedimento não precisa de anestesia, mas algumas pessoas podem sentir um pouco de dor na região

Foto: Divulgação
Tratamento é indicado para algumas lesões, como fascite plantar, que popularmente falando é a dor no meio do pé, sendo mais comum no calcanhar.

A terapia por ondas de choque (TOC) é um método novo de tratamento em doenças musculoesqueléticas, aplicado através de um aparelho com sequência de pulsos mecânicos sonoros de alta energia para levar a um processo de regeneração do tecido afetado.

O ortopedista Jorge Kriger explica que o tratamento é indicado para algumas lesões como: fascite plantar, que popularmente falando é a dor no meio do pé, sendo mais comum no calcanhar; como também tendinopatia do Aquiles, mais conhecida como tendinite no pé; fraturas de stress, quando a pessoa começa a sentir dor ao andar, que se não for tratada pode levar a uma fratura na região.

O procedimento não precisa de anestesia, mas algumas pessoas podem sentir um pouco de dor na região. Geralmente, o tratamento é realizado com três sessões, com intervalos de 5 a 7 dias.

Quando os tratamentos convencionais fracassam, a TOC tem sucesso de 70 a 80% dos casos. Por ser um procedimento de alta tecnologia, planos de saúde e o SUS não cobrem os gastos, dessa forma a terapia é realizada em clínicas, por um médico ortopedista.

Efeitos colaterais 

Segundo o ortopedista, existem relatos de casos de hematomas, e alguns caos de desmaio e tontura durante a aplicação. Kriger também alerta sobre as contraindicações do tratamento por TOC. O procedimento não pode ser realizado em gestantes, crianças com fise de crescimento abertas, pacientes com doenças de coagulação ou em uso de anticoagulantes, em áreas com infecção e pessoas com câncer.