• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Gusttavo Lima fatura cerca R$ 10 milhões com lives durante a quarentena

Entretenimento

Gusttavo Lima fatura cerca R$ 10 milhões com lives durante a quarentena

O sertanejo teria as maiores cotas de patrocínio na categoria e teria embolsado cerca de R$ 3 milhões numa live que realizou na sexta-feira, dia 22

Foto: Reprodução / Instagram

A quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus pode ter acabado com os shows de grandes artistas, no entanto, o faturamento de muito deles parece não ter sido tão abalado assim. De acordo com o jornal Extra, Gusttavo Lima seria o cantor sertanejo que mais estaria se dando bem durante a quarentena com o novo formato de apresentações, através de lives intimistas nas redes sociais dentro da própria casa.

O sertanejo teria as maiores cotas de patrocínio na categoria e teria embolsado cerca de R$ 3 milhões numa live que realizou na sexta-feira, dia 22. As cotas do cantor estariam variando entre 400 mil a um milhão de reais. Três marcas teriam pago o valor máximo para terem seus logos estampados nessa última transmissão.

Gusttavo também fatura com as inserções de merchandising e publiposts nos Stories e Feed do Instagram, antes e depois do show, além de ter o vídeo monetizado pelo YouTube, recebendo pelo número de visualizações e inscrições. No primeiro show, ele atingiu a marca de 10 milhões de pessoas assistindo à apresentação. Na segunda, o número foi cinco vezes maior e, com isso, os valores foram reajustados.

Ainda segundo o jornal, na primeira live, a cota master custava 500 mil reais. Por mês, o sertanejo fazia cerca de 15 shows com uma médica de cachê de 700 mil reais por cada apresentação, o que daria cerca de 10,5 milhões de reais. Com apenas três lives feitas até agora, Gusttavo já teria chego bem perto desse resultado.

A publicação revelou ainda que Gusttavo dispensou seus divulgadores, cortou investimentos em rádio e até demitiu alguns de seus funcionários, indicando que a crise no mercado o afetou de certa forma.