Enderson pensa em 68 pontos para acesso do Botafogo e não vê rivais fora da briga

Esportes

Enderson pensa em 68 pontos para acesso do Botafogo e não vê rivais fora da briga

No entanto, em entrevista ao SporTV, o treinador do alvinegro disse que mais 27 pontos - ou nove vitórias - farão o time assegurar a promoção à elite nacional

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Vitor Silva / Botafogo

Escolado em Série B do Campeonato Brasileiro, o técnico Enderson Moreira não quis projetar um número mágico de pontos para que o Botafogo possa garantir o acesso. No entanto, em entrevista ao SporTV, o treinador do clube alvinegro carioca disse que mais 27 pontos - ou nove vitórias - farão o time assegurar a promoção à elite nacional.

"Tive a felicidade de ganhar duas Séries B. Tenho um pé atrás enorme porque em 2012 fomos campeões com 78, o Criciúma ficou com 75 e tivemos um empate triplo com 71 e o São Caetano não subiu com 71 pontos. Qualquer tipo de projeção eu fico com muito receio. Tenho falado para os atletas para concentrar única e exclusivamente nos três pontos. A matemática pode variar para cima e para baixo", disse Enderson Moreira.

"Acredito que essa situação de 71 pontos não vai acontecer mais. Não sou muito bom nessa projeção. Talvez 68 pontos... confio nisso. A coisa mais difícil foi recuperar essa distância para o líder que era o Náutico tão rapidamente, era muito grande. Vamos nos dedicar cada vez mais, é uma competição muito traiçoeira", completou.

O Botafogo é o terceiro colocado no momento, com 41 pontos. Perguntado sobre os outros gigantes brasileiros na segunda divisão nacional - Vasco, 10.º com 32, e Cruzeiro, 13.º com 29 -, Enderson Moreira não descartou que ambos briguem pelo acesso e reajam na competição.

"O Botafogo é prova disso. Há 11 rodadas, estava em 14.º lugar. Ainda temos 15 rodadas pela frente. É possível sim que um clube que esteja mais atrás tenha uma boa sequência e possa encostar. O Botafogo é prova disso", lembrou o treinador alvinegro.

Um dos destaques da campanha, o atacante Chay foi elogiado. "O futebol é muito democrático e surpreendente. Às vezes, temos jogadores de 16, 17 anos que apresentam uma maturidade absurda. Têm atletas que vão ganhar essa maturidade com um tempo maior, com 23 ou 24 anos. E muitas vezes, isso faz com que atletas busquem outros caminhos, uma nova possibilidade. O Chay chegou a jogar futebol de 7. E é um jogador que parece que está há muito tempo no clube, crescendo a cada jogo. Isso tem sido muito positivo", completou Enderson Moreira.