Secretaria de Saúde de SP convoca reunião para combater aglomerações em estádios

Esportes

Secretaria de Saúde de SP convoca reunião para combater aglomerações em estádios

O intuito do órgão municipal é a partir do encontro elaborar novas estratégias de combate às aglomerações

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução / Estadão

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo convocou reunião de emergência para discutir como combater a aglomeração de torcedores em frente aos estádios de futebol durante a pandemia do novo coronavírus. A ideia é no máximo até esta quinta-feira realizar uma discussão com representantes da Polícia Militar (PM), Federação Paulista de Futebol (FPF) e Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para evitar episódios como na última quarta, quando centenas de são-paulinos se reuniram na porta do estádio do Morumbi durante jogo do time contra o Flamengo, pela Copa do Brasil.

A informação sobre o encontro foi confirmada ao Estadão pelo secretário municipal da Saúde de São Paulo, Edson Aparecido de Souza. "Até quinta-feira no máximo, vamos fazer a reunião", contou. A CBF deve sinalizar ainda nesta terça qual a melhor data para o encontro e a partir disso o compromisso estará marcado. O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, é quem deve participar como representante da entidade.

O intuito da Secretaria Municipal de Saúde é a partir do encontro elaborar novas estratégias de combate às aglomerações. A preocupação é com o aumento do número de casos de covid-19 em São Paulo nos últimos dias e também com a aproximação de jogos eliminatórios, que costumam mobilizar mais os torcedores. No próximo mês, o São Paulo voltará a jogar pela Copa do Brasil, diante do Grêmio, e em breve o Palmeiras disputará o mata-mata nacional e também as oitavas de final da Copa Libertadores em sua casa.

Existe a possibilidade de o encontro selar uma estratégia com a Polícia Militar para organizar um cerco ao redor dos estádios para dispersar aglomerações. Na semana passada, o encontro de são-paulinos foi convocado pela maior organizada do clube, a Independente. A facção prometeu distribuir na porta do estádio 5 mil frascos de álcool em gel para diminuir o risco de contágio.

CAMPANHA DA CBF - Junto com esse debate, a CBF também quer organizar uma campanha educativa. A entidade avalia gravar um vídeo em que os capitães dos 20 times da Série A do Brasileiro aparecem de máscara e pedem para o torcedor ficar em casa e se cuidar. O objetivo é utilizar o poder de influência do futebol para convencer o público a evitar novas aglomerações na porta dos estádios. A ação será organizada pelo departamento de marketing da entidade.

Também na semana passada houve um outro episódio de aglomeração de torcedores. Em Belo Horizonte, o técnico Lisca, do América-MG, chegou a ser carregado por um grupo de pessoas depois de classificar o time para a semifinal da Copa do Brasil. O País tem registrado um aumento do número de mortes e casos de pessoas contaminadas com o novo coronavírus nas últimas semanas.