Transcol suspenso, bancos fechados: veja outras medidas restritivas no ES até 4 de abril

Geral

Transcol suspenso, bancos fechados: veja outras medidas restritivas no ES até 4 de abril

Governador determinou suspensão do transporte de passageiros entre cidades e para outros Estados de 28 de março até o domingo de Páscoa

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória

Transcol e transporte coletivo de passageiros não vão funcionar por oito dias. A suspensão começa neste domingo, 28 de março, e até 4 de abril, domingo de Páscoa. 

Bancos, lotéricas,  lojas de material de construção e de serviços automotivos ficarão fechadas. Essas foram algumas das medidas mais restritivas anunciadas pelo governador, Renato Casagrande, no início da tarde desta quinta-feira (25),  para combater a pandemia do novo coronavírus no Espírito Santo. 

Veja o pronunciamento!

O Jornal Online Folha Vitória antecipou algumas dessas restrições. As regras do decreto estadual publicado na semana passada, que valeriam até o dia 31 de março, foram estendidas até 4 de abril, domingo de Páscoa.

Entre as medidas anunciadas pelo governador, está a paralisação total do transporte coletivo. "Durante oito dias estamos suspendendo transporte coletivo municipal. Todos os municípios que oferecem transporte, estamos determinando a suspensão deste transporte. Estamos suspendendo transporte metropolitano. Transcol está suspenso de domingo, 28 de março, até o domingo de Páscoa, 4 de abril. Oito dias sem Transcol na região metropolitana", anunciou Casagrande. A suspensão também afeta o trajeto de pessoas entre outras cidades e para outros Estados. O transporte ferroviário também deverá parar.

Foto: Iures Wagmaker / Folha Vitória

Casagrande justificou a rigidez das novas determinação devido ao grau de contágio do novo coronavírus, que se tornou mais letal com a chegada das variantes, especialmente a do Reino Unido. Ele também anunciou que, enquanto a ocupação dos leitos de UTI estiver acima de 90%, as regras para desestimular a circulação de pessoas estarão valendo. "Eu tenho dito que estamos conseguindo estar um passo à frente da doença, mas ela está alcançando nosso calcanhar. Se nesse ritmo a gente continuar, daqui a pouquinho poderemos não ter leito para todas as pessoas", reforçou o governador.

Não poderão funcionar

Não serão considerados serviços essenciais e, portanto, não poderão abrir os seguintes estabelecimentos:

- comércio atacadista; 

- lojas de material de construção civil; 

- casas de peças e oficinas de reparação de veículos automotores;

 - comercialização de produtos e serviços de cuidados animais (permitido o funcionamento de clínicas médicas veterinárias e comercialização de alimentos); 

- agências bancárias (permitindo o atendimento presencial para recebimento de benefícios) 

- instituições financeiras de fomento econômico; 

- casas lotéricas;

- atividade de pesca de lazer no mar (permitida a pesca comercial);

- foi retirada também a permissão para o atendimento presencial em concessionárias prestadoras de serviços públicos;

- em relação aos serviços de assistência à saúde, será permitido o funcionamento somente de “hospitais, clínicas e consultórios médicos, odontológicos e de fisioterapia, laboratórios e farmacêuticas”. A campanha de vacinação seguirá normalmente;

- hotéis, pousadas e afins terão a capacidade de ocupação limitada a 30% dos quartos;

- suspensão do transporte coletivo em todo o Espírito Santo a partir deste domingo (28) até o dia 04 de abril. A medida vai atingir 100% dos coletivos dos serviços metropolitano (Sistema Transcol), rodoviário (intermunicipal e interestadual) e os municipais nas cidades que possuem o serviço;

- transporte ferroviário de passageiros também ficará suspenso;

A decisão sobre o transporte coletivo foi tomada com objetivo de reduzir a interação entre as pessoas, visando a redução na transmissão da doença. 

No serviço metropolitano de transporte coletivo (Transcol), a redução de passageiros foi em média de 20%, quando o esperado para o período de quarentena era uma redução de 50%. Uma parte da frota do Sistema Transcol será disponibilizada para dar apoio aos serviços de saúde para o transporte exclusivo dos profissionais de saúde.


Foto: Reprodução

Veja abaixo as atividades essenciais enumeradas pelo Estado

1 - hospitais, clínicas e consultórios médicos, odontológicos e de fisioterapia, laboratórios e farmácias;

2- serviços públicos considerados essenciais, de acordo com manifestação do Chefe do Poder, do Secretário Estadual/Municipal ou do Dirigente da autarquia ou fundação, no caso de órgãos e entidades estaduais e municipais, e de acordo com a regulamentação própria, no caso de órgãos e entidades federais;

3- atividades industriais;

4- assistência social e atendimento à população em situação de vulnerabilidade;

5 - atividades de segurança pública e privada, incluindo a vigilância, a guarda e a custódia de presos;

6 - produção e distribuição de produtos de saúde, higiene e gêneros alimentícios, incluindo atividade agropecuária;

7 - hipermercados, atacarejos (comércio atacadista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios e venda a varejo), supermercados, minimercados, hortifrútis, padarias e lojas de produtos alimentícios;

8 - atividades de produção, distribuição, comercialização, manutenção, reposição, assistência técnica, monitoramento e inspeção de equipamentos de infraestrutura, instalações, máquinas e equipamentos em geral, incluídos elevadores, escadas rolantes e equipamentos de refrigeração e climatização;

9 - produção, processamento e disponibilização de insumos necessários aos serviços essenciais, incluindo lojas de insumos agrícolas;

10 - comercialização de alimentos para animais e funcionamento de clínicas médicas veterinárias, vedado o funcionamento de lojas e a prestação de serviços de cuidados animais;

11 - geração, transmissão e distribuição de energia elétrica;

12 - transporte de passageiros por táxi, transporte de empregados por veículos de seus empregadores e transporte privado urbano por meio de aplicativo;

13 - transporte de cargas;

14 - telecomunicações e internet;

15 - serviços relacionados à tecnologia da informação e de processamento de dados (data center) para suporte de outras atividades previstas neste artigo;

16 - serviços funerários;

17 - serviços postais;

18 - atividades da construção civil;

19 - produção de petróleo e produção, distribuição e comercialização de combustíveis, biocombustíveis, gás liquefeito de petróleo e demais derivados de petróleo, incluindo postos de combustíveis;

20 - produção, transporte e distribuição de gás natural;

21 - serviços de distribuição de água, incluindo distribuidoras de água a granel ou envasada;

22 - atividades de jornalismo;

23 - serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens;

24 - serviços de limpeza urbana e coleta de lixo;

25 - hotéis, pousadas e afins, limitada a 30% (trinta por cento) de sua capacidade de quartos;

26 - atividades de igrejas e templos religiosos;

27 - atividade de pesca profissional no mar; e

28- atividade de locação de veículos.

CONFIRA O QUE DISSE O GOVERNADOR

Dados preocupantes

Boa tarde. Nós estamos hoje numa quinta-feira, no oitavo dia da quarentena. Estamos cumprindo a quarentena que faremos até 31 de março. Avançamos nesses oito dias, mas precisamos reconhecer que nós precisamos avançar mais. É importante que a gente compreenda que os dados que a gente tem devem deixar todos os capixabas preocupados. A partir desses dados, os capixabas devem ficar preocupados e tomar medidas para reduzir a interação e melhorarmos os indicadores que estamos discutindo com vocês todos os dias.

Realidade do Espírito Santo x Outros Estados

Não é uma realidade capixaba. Nós aqui estamos atendendo a todos que demandam um leito, um leito de UTI, de enfermaria. Muitos estados não estão conseguindo atender como conseguiram atender no passado. Muitos perderam a vida esperando um leito de UTI. Aqui no estado do Espírito Santo, estamos atendendo a todo mundo. 

Taxa alta de ocupação de leitos de UTI

Por que temos que avançar mais? A taxa de ocupação de leitos desde o dia em que decretamos a quarentena ela está se mantendo acima de 90%. Mesmo com a gente abrindo leitos todos os dias praticamente. Hoje estive, em Colatina, abrindo leitos de enfermaria. Ontem, na Santa Casa de Misericórdia de Vitória, abrimos leitos de UTI e de enfermaria. Amanhã, estaremos num hospital particular da Serra abrindo mais leitos de enfermaria. Mesmo abrindo leitos todos os dias, a taxa de ocupação de leitos de UTI permanece acima dos 90%. Essa é uma razão que exige que a gente possa avançar mais. 

Mais pacientes em UTI

No dia 1 de março, nós tínhamos 724 leitos de UTI à disposição da sociedade capixaba. E nós tínhamos 525 pacientes internados em leitos de UTI. Leitos exclusivos para tratamento de covid. Ontem, dia 24 de março, nós já tínhamos 819 leitos de UTI exclusivo, praticamente 100 leitos a mais. Em 24 dias nós abrimos quase 100 leitos a mais de UTI. Mas, nós saímos de 525 pacientes internados em UTI para 750 pacientes internados em UTI. Então, nós crescemos 225 pacientes a mais atendidos em UTI, gerenciados pelo Estado. Não estou tratando aqui do serviço privado que está numa situação, também, de trabalho no limite. 

Sistema no limite

Abrimos quase 100 leitos a mais nesses 24 dias e tivemos um acréscimo no nosso sistema de 225 pacientes. Isso mostra a nossa preocupação. Eu tenho dito que estamos conseguindo estar um passo à frente da doença, mas ela está alcançando nosso calcanhar. Se nesse ritmo a gente continuar, daqui a pouquinho poderemos não ter leito para todas as pessoas. 

Mais leitos

Vamos abrir, até o fim de abril, mais de 400 leitos, de UTI e de enfermaria. Nós já abrimos um conjunto onde tínhamos 1.636 leitos de UTI e de enfermaria para covid. Ontem, 24 de março, nós tínhamos 1.636 leitos (819 de UTI e 817 de enfermaria). Vamos abrir mais 400. Chegaremos a mais de 2 mil leitos de UTI e enfermaria para tratamento de covid no Estado. É o maior volume quantitativo de leitos que a gente tem em proporção per capita no Brasil. Passaremos de 2 mil leitos. 

Situação dos municípios

Outra razão que exige nossa preocupação e tomando decisões que sejam importantes neste momento é que as unidades de atendimento nos municípios estão no limite. Basta conversar com o secretário municipal de Saúde e com o prefeito da sua cidade, você vai verificar que essas unidades estão no limite. Sempre com leitos de estabilização praticamente todos ocupados. A pressão sobre o sistema de saúde é muito forte. 

Média móvel de mortes

Outra razão é que o número de óbitos e a média móvel dos últimos 14 dias são crescentes. Lá atrás, na primeira fase, chegamos a 38 óbitos em média por 14 dias. Agora, na segunda fase, em dezembro, chegamos a 28 mortes. E nós já estamos em 31! A média de óbitos nos últimos 14 dias é de 31. Fomos a 38, depois 28 e vocês estão vendo nos últimos dias que nós estamos batendo recorde de registro de pessoas que estão perdendo a vida infelizmente. Ontem, foram 72, anteontem 57, há três dias foram 53, então, a gente fica torcendo para que este número possa reduzir. Mas, estamos vendo que, nesta fase, o óbito está crescente, atingindo pessoas de todas as idades, sobretudo jovens e pessoas abaixo dos 60 anos. A nova variante está mais agressiva e é preciso que a gente possa compreender a necessidade da gente avançar mais. 

Casos ativos

A outra razão é o número de casos ativos. Quem acompanha pelas redes sociais ou pelo nosso Painel Covid está vendo que está crescendo o número de ativos comparado com o número de pessoas curadas. Essa são as razões que exigem que a gente tome novas medidas. 

Quarentena até 4 de abril

Estamos estendendo a quarentena que terminaria no dia 31 de março para o domingo de Páscoa, em 4 de abril. Assim, a quarentena que iria até 31 de março está estendida até 4 de abril. Os efeitos do decreto, que será modificado pelas novas medidas (sendo publicado amanhã), irão se estender até o dia 4 de abril. 

Retorno da matriz de risco em 5 de abril

A partir de 5 de abril, uma segunda-feira, a gente volta à nossa gestão para matriz de risco, classificando os municípios em risco baixo, alto, moderado, extremo. Lógico, se a ocupação de leitos ficar acima de 90%, nenhum município ficará em risco baixo. Todos ficarão ou em risco alto ou em risco extremo ou em risco moderado. Nós voltaremos à gestão da matriz de risco a partir de 5 de abril, numa segunda-feira. 

O que fecha a partir de domingo, 28 de março

Vamos retirar a partir de domingo, dia 28 de março, algumas atividades consideradas essenciais. Elas, a partir deste dia, não serão mais consideradas essenciais. Exemplo: comércio atacadista, lojas de material de construção, casas de autopeças e reparação de veículos, oficinas de reparação de veículos, agências bancárias. 

Agências bancárias, lotéricas, atividade pesqueira

Bancos serão fechados com exceção para atendimento a pessoas que serão beneficiadas com auxílio emergencial (seja do Governo Federal, do Estado ou dos governos municipais). Casas lotéricas e pesca no mar não serão consideradas atividades essenciais. Não poderão funcionar na semana que vem.

Transcol e transporte coletivo de pessoas suspenso

Suspensão do transporte coletivo público, que vai de 28 de março até 4 de abril, de domingo a domingo. Durante oito dias estamos suspendendo transporte coletivo municipal. Todos os municípios que oferecem transporte, estamos determinando a suspensão deste transporte. Estamos suspendendo transporte metropolitano. Transcol está suspenso de domingo, 28 de março, até o domingo de Páscoa, 4 de abril. Oito dias sem Transcol na região metropolitana. Estamos suspendendo o transporte intermunicipal, de domingo a domingo. Estamos suspendendo o transporte interestadual, também de domingo a domingo. Assim, a rodoviária vai ser fechada. Estamos suspendendo o transporte ferroviário. A suspensão é para o transporte de pessoas. O transporte coletivo público de pessoas está suspenso. O transporte de cargas continua normalmente. 

Transporte de trabalhadores de serviços essenciais

O Governo do Estado organizará com os ônibus do Transcol o nosso atendimento aos hospitais do Estado. Hospitais privados terão que se organizar para transportar seus trabalhadores. As empresas que funcionarão como serviço essencial (caso de supermercados, farmácias, postos de gasolina) também organizarão, a partir de domingo (28 de março), transporte de seus trabalhadores. Cada atividade se organizará para transportar os seus servidores e funcionários para que a gente possa reduzir a aglomeração no transporte público. 

Atendimento ambulatorial especializado suspenso

Estamos suspendendo o atendimento ambulatorial especializado. Normalmente, vai continuar o atendimento nas unidades de saúde da atenção primária e da atenção básica e também a vacinação. A vacinação não vai parar, naturalmente, porque a vacina é o grande arma que a gente tem para o enfrentamento ao vírus. Lógico que continuará funcionando o serviço de urgência e emergência como as UPAs, os PAs e o Samu. E esse sistema também já está sobrecarregado. 

Vacina para profissionais da Educação e segurança pública

A partir de 15 de abril, com a reserva técnica dos lotes de vacinas (aqueles 5% que temos de reserva técnica), que chegarão a partir desta data, nós passaremos a vacinar profissionais da segurança pública e profissionais da Educação. Começando sempre dos de mais idade para aqueles de menos idade. 

Variantes mais agressivas

Estamos buscando nesse tempo de quarentena (eram 14 dias, mais 4 dias e chega a 18 dias), com essas medidas que restringem um pouco mais as atividades nessa última semana, nesses últimos dias, estamos buscando efetivamente uma redução da transmissão do vírus. Vocês sabem porque isso é importante. Estou falando isso todos os dias aqui. É importante reduzir a transmissão do vírus porque as novas variantes são muito agressivas. Elas chegaram em algumas cidades, em algumas regiões, estão em diversos Estados. São variantes importadas, de outros países, elas são mais agressivas para todos nós, independente da idade, mas especialmente para a juventude. Elas, de fato, exigem uma internação de mais tempo, levam mais pessoas a óbito.

Efeitos da diminuição de circulação de pessoas

Estamos nessa situação e precisamos reduzir a transmissão do vírus. Na hora em que reduzimos a transmissão do vírus pela redução da interação, nós também passamos a ter menos acidentes. Passamos a ter menos doenças de época, desse período, por exemplo, doenças respiratórias. Só alivia leito para a gente atender covid, se você também não tem uma pessoa traumatizada por um acidente e não ocupa um leito de hospital também reserva leito para atendimento de covid. Nós precisamos reduzir a transmissão do vírus por causa disso.

Economia

Sabemos que é preciso conciliar as atividades econômicas com a preservação da vida. A prioridade é a preservação da vida. Mas estamos sempre buscando fazer uma conciliação porque as pessoas precisam ter as suas atividades econômicas para que possam se sustentar e sustentar a sua família. Numa hora como essa em que a gente está perdendo mais de 3 mil pessoas por dia no Brasil, numa hora como essa em que a vacina não chega na quantidade que a gente precisava que estivesse chegando, numa hora como essa em que a gente, aqui no Espírito Santo, está perdendo mais de 30 pessoas por dia, numa hora como essa, nós não temos que ter dúvida: tomar as medidas adequadas como governador, como governante, amparado por diversas outras instituições públicas do Estado, amparados por instituições importantes do Estado, mas, especialmente, amparado por você. Que está acompanhando, que está preocupado e que está colaborando neste momento.

Apelo a quem nega a gravidade da doença

Quem ainda não compreendeu a importância deste momento, o que significa o que a gente está vivendo neste momento, é importante que possa sentar com sua família e faça uma reflexão. O que é mais importante neste momento? É bom que a gente tenha as condições para dar dignidade às pessoas. As pessoas precisam ter um atendimento adequado. Imagine como é indigno chegar numa hora em que precisar de um leito de UTI e de enfermaria e não encontrar esse leito, perder a vida de um ente querido e de uma pessoa amiga na porta de um hospital sentado em uma cadeira! Isso é o que as pessoas estão passando pelo Brasil. Eu não quero isso para nenhum brasileiro, para nenhuma pessoa do mundo, mas não quero isso para nenhum capixaba.

Mudança de atitude

Então, é bom que a gente compreenda o que a gente está vivendo nesse momento e é uma tarefa que exige do governador postura. Exige do prefeito, do vereador, dos demais poderes constituídos desse país, mas exige muito de cada um de nós. Essa doença exige que cada um de nós seja um soldado, alinhados na trincheira para poder defender a vida de todos. Isso é o que pedimos nesse momento. Atitudes que muitas vezes não têm a compreensão de todos mas eu tenho certeza de que elas têm a compreensão da maioria.

Desejo de mais empatia

Queremos chegar ao final desse processo com as pessoas imunizadas, vacinadas, e com essa chegada das vacinas a gente possa ter a liberdade que estamos procurando há mais de um ano. Essa liberdade exige que tenhamos disciplina. Ninguém tem liberdade sem sacrifício. Para ter liberdade tem que ter sacrifício, disciplina e comprometimento, responsabilidade. Principalmente empatia. Se preocupar com a gente mas se preocupar com outras pessoas. Essa é a razão das medidas que estamos tomando e a razão para eu vir até vocês e pedir a colaboração para salvar a vida dos capixabas.