• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cuidado com o ser humano: parceria do Tamar com Arcelor também ajuda gente!

PROJETO TAMAR

Geral

Cuidado com o ser humano: parceria do Tamar com Arcelor também ajuda gente!

Além de promover capacitação, profissionalização e geração de emprego e renda para a comunidades, as confecções do Tamar geram recursos para o programa de conservação e pesquisa das tartarugas marinhas

Thamiris Guidoni

Redação Folha Vitória
Foto: Projeto Tamar Fundação

O Projeto Tamar também cuida de gente! Pensando em uma estratégia eficaz, o programa de conservação ambiental do Tamar interage com as comunidades envolvidas e outros atores sociais, dando suporte para a sustentabilidade das ações a longo prazo. Cuidando das pessoas, o Tamar entendeu que automaticamente, elas cuidariam do mar, das tartarugas marinhas e protegeriam a natureza.  

E pensando nesse cuidado para com o ser humano, a equipe do projeto percebeu que as populações locais são essenciais para esse processo de cuidar e contribuir para que o meio ambiente seja preservado, o que influi diretamente nas condições do habitat desses animais, reduzindo a pressão sobre os ecossistemas e as espécies. 

Uma parceria que deu mais do que certo

Durante o período de pandemia, a confecção do Projeto Tamar teve grande queda, mas a parceria com a ArcelorMittal Tubarão chegou para dar esperança e gerar emprego para as famílias.   

"A parceria da ArcelorMittal foi muito positiva. Foram produzidas 19 mil máscaras. Isso deu uma garantia de sobrevivência da confecção nesse período com geração de trabalho e renda" - Carlos Sangalia

Há duas confecções em operação nas comunidades de Regência, no Espírito Santo e Pirambu, em Sergipe, que envolvem diretamente 70 moradores das comunidades próximas. Os resíduos de tecidos são distribuídos a grupos de mulheres das comunidades, que criam objetos como tartarugas de pano, além da confecção de camisetas. 

No trabalho de inclusão social, há grupos produtivos. Confira o que diz Carlos Sangalia, Educador Socioambiental da Fundação Projeto Tamar:

As confecções do Tamar foram criadas para capacitar as mulheres e filhas de pescadores e melhorar a renda das famílias. Mais tarde, essa produção tornou-se também fonte de recursos para auto-sustentação do Projeto e as camisetas, uma das principais formas de divulgação da mensagem da conservação das tartarugas marinhas e dos oceanos. A experiência pioneira aconteceu em Regência, no Espírito Santo, em 1990. 

Além de promover capacitação, profissionalização e geração de emprego e renda para a comunidades, as confecções do Tamar geram recursos para o programa de conservação e pesquisa das tartarugas marinhas. A confecção de Regência envolve cerca de 40 moradores da comunidade e produz anualmente cerca de 135 mil peças, principalmente camisetas em malha de algodão.

As mulheres e filhas dos pescadores sempre tiveram atenção especial do Tamar, que desenvolveu um programa de educação ambiental, capacitação, profissionalização e criação de alternativas de renda. Várias atividades foram estimuladas, inclusive com o resgate de antigas tradições, como é o caso das rendeiras de bilro e bordadeiras em ponto-de-cruz (Ceará e Sergipe). Também em bases de outros Estados, como Espírito Santo e São Paulo, foram organizados, estimulados e apoiados grupos de costureiras e bordadeiras, que passaram a ter uma renda para ajudar na sobrevivência das famílias.

O artesanato das regiões onde atua também é beneficiado pelas ações de valorização cultural realizadas do Tamar, que oferece orientação, capacitação e apoio logístico na organização dos grupos, produção e comercialização. Dentro dos programas de preservação e valorização das tradições culturais de cada lugar, o Tamar apoia manifestações em vários Estados, como o Carnaval e o São João (Bahia), o Reisado (Ceará), as bandas de Congo (Espírito Santo), o Culturate e o Lariô da Tartaruga (Sergipe), as diversas formas de artesanato indígena (Espírito Santo e São Paulo).

Aliado às campanhas educativas de informação, sensibilização e conscientização ambiental, o Tamar promove a busca de alternativas de subsistência não predatórias para os pescadores e suas famílias, beneficiando-os com várias ações de inserção social. Apoia creches e escolas; oferece possibilidade de trabalho e profissionalização para mulheres e jovens nas confecções, oficinas produtivas e outras iniciativas, inclusive através de parcerias com várias cooperativas; o artesanato e a cultura locais são valorizados; incentivam-se e valorizam-se tradições culturais regionais, como bordados e renda de bilro, grupos folclóricos e de capoeira.

Centro de Visitação

O centro foi inaugurado em 2012 e desde então já recebeu milhares de visitantes que vem em busca de uma experiência diferente, no espaço foram reproduzidos vários ambientes das tartarugas. Tem réplicas dos ninhos, dos ovos, tem os bonecos das tartarugas gigantes , tem a lojinha . O grande destaque do centro é o tanque gigante que foi construído com apoio da ArcelorMittal Tubarão . Esse é maior tanque de observação de tartaruga no Espírito Santo. Ele tem visores que permitem que gente fique pertinho das tartarugas e acompanhe elas nadando e se desenvolvendo.

Aos interessados em fazer uma visita exclusiva - grupos familiares ou de amigos de até 10 pessoas – o Centro oferece a Visita Especial. O programa conta com acompanhamento de um técnico da equipe e possibilita conhecer os bastidores do Projeto Tamar aos visitantes, observar a limpeza dos tanques e a alimentação e banho dos animais. Para a Visita Especial, o agendamento deve ser feito pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (27) 3225-3787.

Leia também

>> Entenda a importância da telemetria por satélite no ciclo de vida das tartarugas marinhas

>> Quase 5 mil tartarugas verdes já foram capturadas, marcadas e devolvidas ao mar no ES

>> Tanque gigante de observação das tartarugas em Vitória é fruto de parceria entre Projeto Tamar e ArcelorMittal Tubarão

>> Conhecer para preservar: a importância do Centro de Visitação Tamar para evitar a extinção das tartarugas