Mulheres com crianças de colo entram na frente da PM durante tiroteio em Vitória

Polícia

Mulheres com crianças de colo entram na frente da PM durante tiroteio em Vitória

O confronto aconteceu no bairro Bonfim, na noite desta quinta-feira (28), após vários homens tentarem fugir de uma patrulha policial

Redação Folha Vitória

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória

Mulheres segurando crianças pequenas no colo entraram na frente de um tiroteio e xingaram policiais que perseguiam suspeitos. Essa história aconteceu no bairro Bonfim, em Vitória, na noite desta quinta-feira (28), após vários homens tentarem fugir de uma patrulha policial.

A polícia informou que estava chegando perto da tradicional escadaria dos trabalhadores, um grupo de suspeitos disparou várias vezes contra os militares, que revidaram.

Ainda de acordo com a PM, o tiroteio foi intenso, mas os homens não identificados conseguiram correr para uma região de mata do bairro quando a arma de um dos policiais falhou.

Reforços foram chamados, e a busca continuou, seguindo o trajeto feito pelos fugitivos. Quando os militares já estavam dentro da mata, os suspeitos começaram novos disparos e o tiroteio recomeçou.

Mulheres e crianças no meio do tiroteio

A Polícia Militar informou que nesse momento, algumas moradoras do bairro entraram na frente dos policiais segurando crianças de colo. Elas hostilizaram e xingaram as forças de segurança, colocando em risco a própria vida e a das crianças.

Os fugitivos escaparam e não foram encontrados, assim como nenhum material ilícito. 

O caso foi registrado no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Vitória, e a arma da policial que falhou durante o confronto foi entregue para a manutenção.

A Polícia Militar foi questionada sobre a ocorrência e sobre o arma do militar que falhou, mas a PM respondeu apenas que os suspeitos se evadiram, não sendo mais localizados.

Nenhum material ilícito foi apreendido no local. Já a Polícia Civil informou que a ocorrência foi encerrada sem conduzidos. O caso seguirá sob investigação.

Com informações da repórter Nathália Munhão, da TV Vitória/Record TV