"Relatos são bem parecidos", diz delegada sobre médico preso por abuso sexual em São Mateus

Polícia

"Relatos são bem parecidos", diz delegada sobre médico preso por abuso sexual em São Mateus

Ginecologista Gedison Luis Gonçalves foi transferido para o Centro de Detenção Provisória de Viana. Ele foi acusado por três mulheres de cometer abuso e assédio sexual durante consultas

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução redes sociais
Médico ginecologista Gedison Luis Gonçalves está preso no Centro de Detenção Provisória em Viana

A delegada Gabriella Zaché, responsável pelas investigações do caso em São Mateus envolvendo o ginecologista Gedison Luis Gonçalves, 46 anos, acusado de assediar e abusar sexualmente de pacientes durante as consultas e exames pré-natal em São Mateus, disse que os depoimentos das vítimas indicam um comportamento padrão do suposto agressor. 

“Inicialmente, nós temos três vítimas que ocorreram em anos diferentes, mas os relatos são bem parecidos. A forma que ele age é praticamente a mesma. Essas vítimas não se conhecem, não tiveram contato uma com a outra, mas relatam a mesma coisa", apontou a titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de São Mateus à assessoria da Polícia Civil. 

As três mulheres, que registraram boletins de ocorrência, falaram que os assédios teriam ocorridos em consultas entre os anos de 2019 e 2021.  

"Elas disseram que foram fazer exame ginecológico, algumas de rotina, e outras que estavam realizando acompanhamento pré-natal com este médico e, durante a consulta e realização dos exames teriam acontecido esses abusos”, confirmou a delegada.

Leia também: Mulher grávida acusa médico de abuso sexual durante exame em São Mateus

Leia também: Ginecologista é preso suspeito de abusar sexualmente de pacientes em São Mateus

Gabriella informou ainda que podem existir mais vítimas deste médico. “Se mais alguma vítima tiver passado por situação semelhante, orientamos que procure a nossa delegacia e também formalize o registro, para que os novos fatos sejam incluídos nesta investigação”, orientou a delegada. 

O médico, que estava no Centro de Detenção Provisória de São Mateus, foi transferido na última segunda (09) para o Centro de Detenção Provisória de Viana, na região metropolitana. As informações são da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). 

Empresária afirma que sofreu abusos quando estava grávida

Uma das vítimas que prestou depoimento e que pediu para não ser identificada, uma empresária de 22 anos, contou ao Folha Vitória que sofreu abuso pelo médico durante uma consulta de pré-natal, realizada no município, em 2019. 

"Foi em agosto daquele ano. Eu estava no oitavo mês de gestação. Naquele dia, fui à consulta sozinha. Ia sempre com meu ex-marido. Durante o exame, ao final, o médico começou a perguntar sobre se eu sabia onde ficava meu ponto G, como estava a minha libido, se eu sentia prazer", relembrou.

A gestante foi à clinica para fazer um exame de ultrassom e estava deitada em uma maca. Segundo ela, ninguém acompanhava a consulta.

"Ele foi falando isso com mão na minha vagina. Ele começou a fazer movimentos com a mão querendo me masturbar, perguntando se estava gostando. Foi um momento horroroso, nojento. Saí completamente constrangida e desconfortável. Não comentei com ninguém porque fiquei totalmente desnorteada, fragilizada", relembra. 

Entenda o caso

Gedison Luis Gonçalves foi preso suspeito de abusar sexualmente de pacientes durante consultas. O mandado de prisão preventiva foi cumprido na manhã da última sexta-feira (06), por equipes da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), com apoio de policiais da cidade de Jaguaré.

Segundo a Polícia Civil, o médico foi abordado por volta das 06h50, quando saía de casa para trabalhar. Ele foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de São Mateus. Nesta 

Advogado deixa a defesa do médico

O advogado Glauber dos Santos Silva, contratado inicialmente para defender o médico, deixou o caso na tarde de segunda-feira. Segundo ele, a família de Gonçalves optou pelos serviços de outro advogado.

A reportagem não conseguiu contato com os familiares do ginecologista ou com o novo serviço de advocacia que irá representar o médico. O espaço está aberto para posicionamento da nova defesa.

CRM vai abrir sindicância para apuração dos fatos

Em nota, o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) afirmou que não recebeu denúncia formal contra o médico, mas diante da denúncia veiculada, abrirá sindicância para apurar os fatos. 

Prefeitura de São Mateus tomará medidas após investigação dos casos

A reportagem procurou a Prefeitura de São Mateus, pois o médico também atendia na rede pública da cidade. 

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde de São Mateus informou que não houve denúncias contra o Gedison Luis Gonçalves na rede municipal.

Informou também que as consultas marcadas com ele foram remanejadas para outros especialistas.

A pasta finaliza dizendo que tomará as medidas administrativas necessárias após a conclusão da fase investigatória. Mas não especificou quais.

Polícia de São Mateus não comenta sobre as investigações

A reportagem entrou em contato com a Deam de São Mateus. Os telefonemas não são atendidos e caem na caixa postal.

A assessoria da Polícia Civil informou, por meio de nota, que não irá passar nenhuma informação para que a apuração do caso seja preservada.