Conheça as doenças mais comuns no verão e como preveni-las

Saúde

Conheça as doenças mais comuns no verão e como preveni-las

De acordo com o médico, Thiago Mariani, a intoxicação alimentar é uma dessas doenças frequentes durante o verão

Foto: Reprodução/Pexels

Sol, praia, férias, viagens e gente bronzeada, o verão está aí, e sem dúvidas a estação é a mais esperada e alegre do ano, mas junto com ela vem algumas doenças bem típicas dessa época. O bom disso tudo é que elas são evitáveis, basta adotar alguns cuidados e passar pelo verão livre de todas elas!

De acordo com o médico, Thiago Mariani, a intoxicação alimentar é uma dessas doenças frequentes durante o verão. Ela acontece devido a uma reação do organismo à comida ou à água contaminadas por bactérias, parasitas e vírus durante o preparo, manipulação ou armazenamento.

“Este tipo de microrganismo é encontrado com mais facilidade em carne crua, frango, peixe e ovos. Apesar disso eles podem se espalhar para qualquer tipo de alimento. Ela pode causar náusea, vômitos, diarreia, dor abdominal e cólicas, febre, fraqueza, calafrios, tonturas entre outros sintomas. Tende a passar rápido, mas em alguns casos é necessário consultar o médico”, disse.

O tratamento consiste em aumentar a ingestão de líquidos, e nos casos mais graves, quando a pessoa apresenta fraqueza excessiva ou diarreia e vômitos descontrolados pode ser necessária a hidratação intravenosa e o uso de antibióticos. Grávidas devem procurar o médico desde os primeiros sinais, assim é reduzido o risco do bebê ser contaminado.

“Para ficar livre desse problema evite alimentar-se em locais nos quais você não conhece a procedência e armazenamento dos produtos que estão sendo comercializados. Outra dica é levar o seu próprio alimento para as praias, acondicionados de maneira adequada”, orientou Thiago.

Outra doença muito comum durante o verão é a otite externa. Segundo o otorrinolaringologista, Marco Antônio Caliman, essa infecção acomete o ouvido externo, que é o canal que transmite o som do meio ambiente até a membrana timpânica. O problema acontece principalmente as crianças, mas os adultos que gostam muito de ficar na água do mar também podem sofrer com o problema.

“Entre os principais sintomas estão a dor de ouvido, secreção drenando pelo ouvido, diminuição temporária da audição, podendo ocorrer febre e mal estar. Na maior parte das vezes ela é provocada pela presença de água no conduto auditivo e uso inadequado de hastes de algodão (popularmente chamados de cotonetes). Em alguns casos são necessários uso de gotas tópicas com analgésicos e antibióticos”, disse ele.

A prevenção é a melhor forma de combater as infecções de ouvido. “Evitar a entrada de água no ouvido durante banhos de mar ou piscina, com uso de tampões adequados, e evitar uso de cotonetes ou outros materiais dentro do ouvido ainda é a melhor maneira de prevenir as otites externas", orientou.

O tratamento deve ser sempre orientado por um médico, após adequada avaliação do quadro.

Outra doença clássica do verão é a conjuntivites, que consiste em uma inflamação da membrana externa do globo ocular, aquela parte branco dos olhos, e do interior das pálpebras. De acordo com o oftalmologista, André Machado, a conjuntivite infecciosa é o tipo mais comum durante o verão. Ela é contagiosa, sendo transmitida pelo ar ou contato com o local. Ela pode atingir um ou os dois olhos.

“Para evitá-la a melhor prevenção é lavar as mãos constantemente com água e sabão, separar toalhas para uso individual, é importante reforçar a higiene básica e ter sempre um álcool gel por perto para evitar tocar os olhos com as mãos sem a devida higiene”, disse.

“Compressas de água fria aliviam a queimação, o uso de óculos de sol ajudam a reduzir a sensibilidade à luz. Um oftalmologista precisa ser consultado para indicar o colírio adequado para cada caso”, alertou. Para evitar a conjuntivite infecciosa é importante manter as mãos higienizadas e evitar locais com muitas pessoas.