Epidemiologista alerta sobre risco de transmissão de covid-19 nas praias

Saúde

Epidemiologista alerta sobre risco de transmissão de covid-19 nas praias

A pesquisadora e professora Ethel Maciel recomenda evitar aglomerações no litoral e não dispensar o uso da máscara mesmo estando ao ar livre e à beira-mar

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória
Foto: Ministério do Turismo

Com a chegada do verão e das altas temperaturas, beirando uma média de 35°C nesse início de janeiro, a praia é uma das opções preferidas para muita gente. Mas com a pandemia do coronavírus, as medidas de distanciamento social e de higiene devem ser levadas em conta, mesmo à beira-mar. As cenas de praias lotadas levam a uma preocupação a mais já que o país registra aumento recorde no número de casos e de mortes por covid-19, ultrapassando, recentemente, a marca de 200 mil mortos. 

A epidemiologista, pesquisadora e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Ethel Maciel, alertou para o risco de transmissão de covid-19 mesmo nas praias. "As pessoas estão no modo de férias e, por isso, tendem a relaxar com os cuidados. Mas a pandemia não acabou. Mesmo o local aberto, ao ar livre, à beira-mar, também traz os seus riscos para transmissão do coronavírus", ressalta.

Assim, os mesmos cuidados em locais fechados, como bares e restaurantes, devem ser observados quando o programa for passar algumas horas na areia para um mergulho no mar. Ela reforça que a praia não deve ser encarada como local de aglomeração, mas de lazer. Neste conceito, o mais seguro é que as famílias se mantenham à distância uma das outras na faixa de areia, sem interação com os demais. "O ideal é que você permaneça com a máscara e continue fazendo um distanciamento físico daquelas pessoas que não fazem parte do seu núcleo familiar", explica.

Dessa forma, cadeiras de praia e guarda-sóis devem manter uma distância de dois metros. A orientação também vale para quem entrar no mar. "Mesmo quando você se dirigir para a água, vale a mesma regra para a terra: é preciso manter o distanciamento físico, de um metro e meio pelo menos", aconselha.

Na análise da pesquisadora, o indicado é que os banhistas prefiram ir a pontos do litoral que não sejam concorridos ou procurados por multidões. Se a praia estiver muito lotada, será mais difícil cumprir a prática do distanciamento. 

Comida na areia

A epidemiologista recomenda que o ideal, dentro das regras de segurança sanitária, é levar aquilo que se vai consumir de comida e bebida. Assim, evita-se tocar ou manipular produtos que não se tenha a certeza de terem sido higienizados. "Toda vez que você entra em contato com algum objeto que alguém tocou antes, você pode aumentar o seu risco", reforça.

Segunda onda

Para Ethel Maciel, o Brasil pode registrar elevação do número de casos e de óbitos por coronavírus nas próximas semanas, devido às aglomerações e relaxamento dos cuidados, durante as festas de fim de ano e nos finais de semana ensolarados de verão, com as praias como destino de multidões. No verão dos Estados Unidos, os casos de infecção por coronavírus aumentaram em cinco vezes depois da reabertura das praias na região de Miami e em Orlando.

"Assim como lá nos Estados Unidos, o risco é que a maior parte de quem se aglomera nas praias, ignorando as normas de segurança, é formada principalmente por jovens adultos, uma faixa etária de população que naturalmente circula muito e que pode levar o vírus para suas casas ou ambiente de trabalho", reforça. 

Até o momento, tanto o Governo do Estado quanto os 14 municípios litorâneos não irão restringir acesso às praias. Entre essas cidades que contam com litoral, no mapa estadual de risco para covid-19, válido entre 11 e 17 de janeiro, São Mateus é a única em risco alto. Já Itapemirim é a única em risco baixo. Todas as demais seguem em risco moderado. 

Prevenção ao coronavírus nas praias

- O risco de contaminação é mais baixo quando visitantes da praia ficam a pelo menos 2 metros de distância dentro e fora da água de pessoas com quem não vivem.

- Interaja apenas com pessoas de seu grupo familiar.

- Não compartilhe alimentos, bebidas, equipamentos (como guarda-sol, cadeiras de praia), brinquedos com pessoas com quem não convivem

- Sempre use máscara ao estiver na areia ou caminhando no calçadão.

- Fique atento à higienização de produtos que for consumir na praia. O ideal é levar de casa.