ES vai realizar teste rápido preciso para covid-19 com resultado em 30 minutos

Saúde

ES vai realizar teste rápido preciso para covid-19 com resultado em 30 minutos

Primeiros 62.400 testes serão doados pela Organização Panamericana de Saúde ao Estado, que anunciou a compra de mais 250 mil kits

Foto: Divulgação
O método de coleta é o mesmo do RT- PCR

Um novo tipo de teste para a detecção da covid-19 passará a ser realizado em breve no Espírito Santo. De acordo com o secretário de Saúde, Nésio Fernandes, o resultado, que sai em até 30 minutos, vai agilizar o atendimento de pacientes suspeitos e com a doença confirmada. O método de coleta do material é o mesmo do já conhecido Swab nasal, por meio de uma haste.

Os primeiros 62.400 testes rápidos antígenos serão realizados por meio de uma doação feita pela Organização Panamericana de Saúde ao Espírito Santo. A informação foi confirmada pelo próprio secretário, em coletiva realizada na manhã desta segunda-feira (22). Ele ainda destacou que o Estado já licitou a compra de 250 mil kits do mesmo teste.

Nésio Fernandes destacou que as equipes serão treinadas a partir desta semana, para que a incorporação dos novos testes sejam realizados. Para ele, o novo método permitirá um atendimento mais acertivo aos pacientes. "Inicialmente irá permitir que toda dúvida diagnóstica, principalmente dos casos mais graves, atendidos na rede de urgência e emergência, possam ter diagnóstico rápido e oportuno para dirigir todos os pacientes a uma internação oportuna nas unidades referência para pacientes respiratórios, em especial nas unidades de UTI para pacientes de covid-19", explicou.

Atualmente, os pacientes com suspeita de infecção do novo coronavírus são internados em unidades isoladas até o diagnóstico final da testagem. Com a nova testagem, a internação será mais rápida. "O exame possibilitará avançar ainda mais nesse fluxo de internação, garantindo acesso de pacientes internados em UTI, sem necessidade de exigir oferta de leitos de isolamento, onde ficam os pacientes suspeitos até o diagnóstico", disse.

Os kits para realização dos novos testes serão, prioritariamente, distribuídos para os hospitais referência no tratamento da doença e para a rede hospitalar de urgência e emergência. Os municípios também receberão os testes, no entanto, em uma quantidade bem menor.

Tipos de testes

Para identificar as infecções causadas pelo novo coronavírus, dois tipos de teste são mais usados: os que identificam se o corpo já teve contato e produziu defesas contra o vírus e o que determina se a pessoa está infectada naquele momento pelo microrganismo.

Os primeiros são os chamados testes rápidos, capazes de dar uma resposta quase imediata se a pessoa já teve a doença. A partir da coleta de sangue, normalmente por meio de um pequeno furo no dedo, que permitirá verificar a presença de anticorpos no soro ou no plasma do paciente, esses exames podem apresentar o resultado em até 30 minutos.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é preciso, no entanto, que o corpo tenha tido tempo de produzir as defesas contra o vírus para que o exame dê um resultado positivo. O tempo estimado é de pelo menos oito dias após o início dos sintomas para que seja possível indicar se a pessoa teve contato com o vírus.

O resultado é dado por meio de uma substância reagente, que muda de cor ao entrar em contato com as imunoglobulinas (anticorpos produzidos pelo corpo contra infecções). Os testes rápidos para covid- 19 são os que identificam as imunoglobulinas G e M (IgG/IgM). Caso a pessoa já tenha tido contato com o vírus, ela pode ter imunidade temporária ou resistência à doença.

Como são baseadas na resposta imunológica do paciente, que pode variar de pessoa para pessoa, a Anvisa alerta que esses testes não confirmam de forma definitiva se a pessoa tem ou não a doença. A principal função desses exames é avaliar a disseminação do vírus em determinadas populações, de forma a embasar ações de saúde pública.

Os testes RT- PCR, por outro lado, identificam a presença de material genético do vírus no corpo do paciente. A sigla em inglês significa: Reação em Cadeia da Polimerase com Transcrição Reversa. De acordo com os critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS), são esses testes que determinam de forma mais confiável se a pessoa tem ou não covid-19.

Para fazer o exame, são coletadas amostras de secreções do nariz ou da garganta do paciente. Em geral, esses testes são feitos, sob prescrição médica, quando a pessoa apresenta sintomas da doença. Ele não mostra se a pessoa já teve a doença, como os sorológicos, mas se há vírus vivos no corpo da pessoa naquele momento. Esse teste deve ser feito pouco tempo depois de a pessoa apresentar os sintomas. Caso seja feito muito tempo depois, em um estágio final da infecção, pode não haver mais traços suficientes do vírus para um diagnóstico preciso.

Os resultados não são imediatos. Os laudos podem demorar alguns dias para serem finalizados. O laboratório vai buscar fragmentos do material genético do vírus (RNA) nas amostras colhidas do paciente. Caso esse material seja encontrado, as moléculas serão analisadas para determinar se pertencem ou não ao vírus causador da covid-19.

Com informações da Agência Brasil