Vacina contra herpes-zóster chega ao ES e pode custar quase R$ 2 mil

Saúde

Vacina contra herpes-zóster chega ao ES e pode custar quase R$ 2 mil

Apesar do alto custo, imunizante promete eficácia de 90% contra a doença, além de poder ser aplicada em pacientes imunodeprimidos

Ana Carolina Monteiro

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

Lançado este mês no Brasil, o novo imunizante contra a herpes-zóster, popularmente conhecida como cobreiro, já está disponível em algumas clínicas de vacinação do Espírito Santo. O preço da vacina figura entre os mais caros na lista do mercado de imunizantes. 

Na Grande Vitória, é encontrada em média por R$ 890 (valor promocional da dose) em clínicas particulares de vacinação. Uma dose da vacina pode custar até R$ 940 em alguns locais. O esquema é composto por duas doses aplicadas em um intervalo de dois a seis meses. A vacina anterior, a Zostavax, custa em média R$ 550 e é aplicada em uma única dose.

Estudos apontam que a eficácia da nova vacina, a Shingrix, produzida pela farmacêutica GSK, contra a doença e às fortes dores que ela provoca, é de 90% em pessoas acima dos 50 anos de idade. 

A herpes-zóster é uma doença, infecciosa, provocada pelo vírus varicela-zoster e causa dores muito fortes no paciente, de acordo com especialistas.

Segundo o médico infectologista, Carlos Urbano G. Ferreira Jr., a vacina traz um grande avanço, uma vez que pode ser aplicada em pessoas com imunidade baixa, algo que a anterior não permitia.

"A vacina existente no mercado antes desta diminuía as frequências da dor provocada pela herpes-zóster em até 50% e contra a doença em 70%. Além disso, é composta pelo vírus vivo, porém atenuado. Por isso, pessoas com imunidade baixa não podem recebê-la. Já a nova não possui nada vivo e funciona acima dos 90% tanto para a dor como para a doença", afirmou o médico.

Ainda de acordo com o especialista, o imunizante pode ser administrado em qualquer pessoa acima dos 50 anos de idade ou entre 18 e 50 anos, neste caso, para quem tem problemas relacionados à imunidade baixa

- Pacientes em tratamento contra o câncer;
- Transplantados;
- Pessoas com HIV;
 - Usuários crônicos de imunossupressores, como corticóides, por exemplo.

Sobre a vacina

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Clínicas de Vacinas (ABCvac), Geraldo Barbosa, a vacina está disponível em todos os centros de vacinação privados do país e também em centros de vacinação que tenham autorização para aplicar vacinas no mercado privado. 

O preço médio tem variado entre R$ 860 e R$ 1 mil, de acordo com a região, devido à carga tributária e logística, portanto, não existe um preço "uniforme". "Entre os principais motivos para o preço alto é que é uma vacina importada, como todas as outras, que tem uma tecnologia nova e isso faz que o custo e o investimento de produção dessa vacina seja aumentado", pontuou.

A expectativa é que com a chegada da Shingrix ao mercado, o número de vacinas aplicadas cresça bastante. A média anual registrada com a Zostavax (vacina da geração anterior, com vírus atenuado) é de 15 mil doses aplicadas.

Sobre a chegada de novas vacinas que possam concorrer com a Shingrix, possibilitando preços menores, Barbosa informou que não há previsão. " A princípio não existe nenhum previsão de chegada de um novo imunizante de outro laboratório similar à Shingrix para herpes zóster.

O que é a herpes-zóster

Para entender o que é a herpes-zóster, trata-se basicamente do reaparecimento do vírus que causa a catapora, no organismo. Médica infectologista, Ana Paula Burian falou sobre o mecanismo da doença. "A primeira vez, desenvolvemos a catapora. Altamente contagiosa é transmitida por via respiratória. Para se ter uma idéia, basta ficar com alguém infectado por um hora no mesmo ambiente fechado para pegar a doença. Depois, esse vírus fica "escondido" no nosso organismo, podendo ressurgir em algum momento ao longo da vida do indivíduo".

A herpes-zóster costuma aparecer, principalmente em episódios de baixa imunidade provocada até mesmo pelo estresse, alertou a especialista. Inclusive, houve um registro maior de episódios da doença no período da pandemia provocada pela covid-19

"A doença provoca dores muito intensas, podendo ser comparadas ao parto e à cólica renal. É bastante séria, podendo levar, em alguns casos, à perda da visão, quando surge na região da cabeça", pontuou. 

Sintomas e tratamentos

Entre os sintomas da herpes-zóster estão: dor, vermelhidão e bolhas em um dos lados do corpo, uma vez que seguem a localização de algum nervo. As áreas podem variar entre costas, cabeça e tórax. Coceira e formigamento também estão entre and queixas dos pacientes.

Pessoas acima dos 50 anos de idade e com doenças como diabetes mellitus, câncer, com estresse psicológico, insônia, em tratamento com imunossupressores têm maiores chances de desenvolver a doença.

O tratamento requer diagnóstico por meio de um especialista. Após isso, são prescritos medicamentos, analgésicos e compressas, de acordo com cada caso. 

Foto: Reprodução/Instagram @justinbieber

Cantor Justin Bieber teve rosto paralisado após vírus ressurgir 

O cantor canadense Justin Bieber passou maus bocados por causa de uma infecção causada pela reativação do vírus da varicela, a catapora. Com parte do rosto paralisado, o astro precisou cancelar shows para cuidar da saúde.

No início do mês, em um relato nas redes sociais, explicou o que aconteceu e fez um alerta para o problema.